18/02/2009

MILHÕES, EMPRESAS E FESTA SOCIALISTA

A enorme dívida da SPRHI – cerca de 117 milhões de euros – o buraco financeiro da SAUDAÇOR, que levou já o PP a pedir a sua extinção, obrigam a uma reflexão séria sobre a dimensão, utilidade e interesse público na empresarialização do Estado. Há uma pesada factura que se começa a acumular, condicionando a execução financeira da Região nos próximos anos. A nova presidente da SPRHI anunciou que a dívida desta sociedade será paga com recurso a contratos-programa a celebrar com a Região. Ana Luís confirma o que se suspeita: esta sociedade para a construção de vias de comunicação é apenas um meio instrumental para desorçamentar despesa. O orçamento da Região começa a pagar as contas, um destes dias...Para ler mais, aqui ao lado no anjo mudo.